SOBRE MIM

Seja Bem vindo!

   Olá, eu sou Ana Karine Coelho, Psicóloga Clínica especialista em Terapia Conjugal e Familiar Sistêmica, Terapeuta certificada de EFT - Emotional Freedom Techniques (Técnica de Libertação Emocional) e Instrutora oficial de Thetahealing® pelo THInK (EUA), com formações nas áreas: Psicosomática, Arteterapia, Medicina tradicional chinesa, Terapia Floral ( Florais de Bach, Saint German e Minas), Aromaterapia, Massagem Ayurvedica e Reiki.

  Um dia, recebi uma imagem no meu celular com a seguinte mensagem: "Não me importa saber onde, o que, ou com quem você estudou. Quero saber o que sustenta o seu interior quando todo o resto desaba."

 

     E essa mensagem me fez pensar sobre o meu caminho como terapeuta, quem eu verdadeiramente sou antes de qualquer título, curso ou formação.

 Quando criança, tinha muito interesse nas técnicas que possibilitavam melhoras na saúde do outro, achava que iria ser médica ou enfermeira. Ficava encantada com as conversas sobre ervas que curavam doenças. Minha avó e suas amigas conheciam chás para tudo, desde de uma simples gripe e dor no estômago até doenças mais graves.

 

  Depois, na pré-adolescência, tive uma fixação por bulas de remédio e lia tudo o que encontrava pela frente. Eu me perguntava, como é que dentro de comprimidos tão pequenos estava a resposta para a cura de doenças?! Isso me parecia mágico. Estaria dentro de uma bula toda uma fórmula química para uma cura? Gostava de entrar nos hospitais e me percebia curiosa e encantada com todo aquele mundo.

   

   Na adolescência, passei a me interessar mais por problemas emocionais do que físicos. Tudo que era crise existencial de amigas, músicos e escritores famosos me intrigava profundamente. Uma notícia no jornal ou no bairro sobre um suicídio ocupava por dias minha mente, afinal que dor tão terrível era essa que fazia uma pessoa atentar contra a própria vida? 

    Nessa fase, o ambiente hospitalar perdeu o deslumbre, entendi que hospitais tinha muito mais haver com doenças do que com saúde. Por experiência própria, durante quatro anos, precisei de intervenções cirúrgicas sérias e outros procedimentos médicos que resultavam em relativo sucesso porque os sintomas eram eliminados com êxito, mas a origem da desarmonia que não gerava em mim uma saúde estável permanecia um mistério.

A partir dessa época, uma aflição constante se instalou no meu coração em forma de pergunta e me acompanhou durante 20 anos: Por que as pessoas adoecem?

   

   No inicio da minha vida adulta, conheci o universo das terapias holísticas, fiz muitas formações, oficinas e vivências nessa área e durante alguns anos, trabalhei com essas terapias até buscar mais respostas na Psicologia.

 

    Foi nessa formação acadêmica que, por algum tempo, achei ter encontrado todas as respostas do mundo, além do mais com provas científicas! 

Era uma maravilha! Sinceramente, não existia nada que eu não encontrasse uma resposta em algum livro, texto ou ensaio de um teórico famoso na minha área, foi uma lua de mel literária e clínica, até chegar na especialização em Terapia Conjugal e Familiar.

 

    Foi a partir desse momento que comecei a trabalhar diariamente com famílias mergulhadas em muitos sofrimentos e atuar com profissionais de outras áreas. A abordagem sistêmica aflorou minha criatividade e me fez pensar nas outras técnicas holísticas das quais eu tive muito êxito e por isso continuava usando essas técnicas em mim, nos meus filhos e familiares. Eu sabia que em muitas situações essas técnicas holísticas ajudariam consideravelmente na clinica, mas por questões éticas não usava no consultório, afinal não era Psicologia.

   

   O desconforto com essas questões me levou a refletir sobre o que tudo isso estava me dizendo. Quem eu sou como terapeuta? O que é mais importante para mim? Meus títulos, carreira profissional, resultados e reconhecimento? No que verdadeiramente acredito? Nesse processo, quebrei muitos preconceitos e paradigmas e entrei no caminho do autoconhecimento e do aperfeiçoamento com as terapias integradas e complementares. 

Quando buscamos o equilíbrio da mente, do corpo e da alma, mergulhamos em uma busca por nós mesmos e muitas respostas surgem, mas, nesse caminho, alguns conflitos que geram desequilíbrios também se mostram sem nenhuma gentileza ou pudor. Então, nesse momento, ou continuamos com coragem e humildade ou nos acomodamos, evitando o desafio de sermos inteiros na nossa verdade e essência.

 

   Chega um momento em que ou assumimos nosso propósito de vida com todo o conhecimento, sabedoria e sensibilidade que adquirimos ou copiamos as escolhas alheias e vivemos eternamente naquela brincadeira de “Siga o Mestre” ou “Seu Mestre Mandou”, refém, assim, das crenças que nos limitam e escondidos em lugares onde pensamos estar seguros, sem desenvolver nosso mais precioso potencial.

  

   Hoje, eu sigo e respeito a minha intuição, a voz que me diz onde eu sou melhor e por onde devo seguir.

   Foram muitos anos, talvez até toda a vida que eu lembre, na busca de alguma técnica ou conhecimento para desvendar o adoecimento emocional, físico e espiritual do ser humano. Hoje, entendo que o aprendizado é dinâmico, continuo e que são muitas as técnicas possíveis que podemos trabalhar. 

O importante, para mim, nessa jornada, foi entender que a minha missão é contribuir como terapeuta para o desenvolvimento do outro na sua plenitude, auxiliar no olhar para dentro, no despertar da criatividade, vitalidade, autoestima, confiança e nas habilidades para superar as adversidades e sair do sofrimento, no empoderamento com responsabilidade, consciência e acolhimento.

    Dê o primeiro passo, peça ajuda, mostre-se, desenvolva-se, abra seu caminho para sua autenticidade, para a sua luz, para a sua essência plena, cure-se...

É possível e você merece!